domingo, 21 de outubro de 2018

Concordando em Discordar

Em meio a discussão politica no Brasil, fica evidente a ignorância geral do povo.
Pessoas são totalmente bipolares na suas opiniões, no geral não entendem que todo e mal emana das pessoas que fazem parte do estado .
Do tiazinha que leva café embora da repartição , ao medico que não quer bater ponto, até o Presidente ou quem esteja acima dele.
Acho que inicialmente tudo que não gera prejuízo a terceiros deve ser liberado.
E  o Estado só deveria vir socorrer quando todos falharam.
Quando o indivíduo falhar , quando a família falhar , quando instituições como Ongs ou igrejas e empresas falharem ai sim o Estado poderia agir a favor do indivíduo.
Por outro lado o Estado alem de não fazer direito o que se propõem se vê no direito de ditar o que o indivíduo deve ou não fazer com sua própria vida, isso é tão incrustado no dia dia passa despercebido.
Um exemplo é o crime de desacato um absurdo por si só.
Rebaixar carro, usar cinto , abs ,airbag , lâmpadas incandescentes banidas , toxicológico para caminhoneiros, padrão das tomadas ,voto obrigatório ,serviço militar obrigatório .
Será que temos que defender o cidadão dele mesmo?
Igrejas, deficientes e taxistas com isenção de impostos , muitas cidades isentam IPTU de apartamentos abaixo de 50m² e também para aposentados ,ônibus grátis para idoso meia entrada para estudantes tudo isso independente da renda. Um idoso deficiente ou estudante de baixa renda ter algum auxilio até vai, mas muita gente que realmente não precisa faz uso desses benefícios onerando o pagador de impostos.


 
                              
O FGTS ,décimo terceiro ,salário mínimo,1/3 férias . Será que isso ainda é útil nos dias de hoje ou é um monte de penduricalho no holerite.
A justiça do trabalho os super salários, o Brasil é o pais do absurdo.


 

Sei que muita gente vai concordar com alguns pontos e discordar em outros , mais pense bem o tanto de lei regras e regulações que tiram a liberdade do indivíduo gole a gole fazendo uma hora ou outra você cometer um crime ou alguma contravenção sem nem saber.

14 comentários:

  1. Lembre-se que o 13° salário não é presente. Você trabalha por ele. São 52 semanas no ano. 52/4 = 13.
    No Brasil, se paga por mês. Assim, para não ficar fazendo conta quebrada todo mês, paga-se um salário a mais em dezembro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu caro, isso é "fake news", porque mesmo quem recebe por semana no Brasil (veja que nem todo mundo recebe mensalmente) tem direito ao pagamento do décimo terceiro, além da remuneração semanal.

      Não tem nada a ver uma coisa com a outra. Se isso fosse verdade, antes do surgimento do décimo terceiro, há mais de 50 anos, todos recebiam por semana, o que não condiz com a realidade também.

      O próprio cálculo já começa errado, se o ano tivesse 52 semanas exatas, teríamos 360 dias por ano (52 * 7 = 360), e não 365 ou 366.

      Eu fiz um post a respeito desse assunto no mês passado, que é bem esclarecedor:

      http://antipoda.com.br/13o-salario-pode-acabar/

      Excluir
    2. Você só pode estar brincando.
      Quer dizer que é farsa porque 7 x 52 é 364 e não 365?
      Aí fica difícil argumentar.
      Faz o seguinte: trabalhe 52 semanas e cobre de seu patrão apenas 48.

      Excluir
    3. Mas eu te provei foi juridicamente que isso é farsa, e o cálculo que fez está claramente equivocado também.

      Se a pessoa trabalhar e for remunerado semanalmente, e é possível que o trabalhador seja remunerado semanalmente, ele deve receber também o décimo terceiro, ou seja, receberia pelas semanas trabalhadas (conforme seu cálculo, "52"), e mais o décimo terceiro salário.

      Onde que faz sentido essa conta aí então? Porque se o 13º fosse um "acerto", apenas quem recebe mensalmente o salário faria jus ao benefício. Veja ainda o exemplo dos professores que recebem por hora, e têm direito ao décimo terceiro, sem trabalhar 52 semanas por ano.

      O décimo terceiro existe em diversos países cristãos, em nenhum deles é acerto, isso é "fake news". Tanto é que existia no Brasil, antes da lei, era comum que o empregado recebesse uma "caixinha" do patrão, e hoje também, em muitos lugares, a "caixinha" permanece como uma tradicional. O Natal está chegando, e vai notar a "caixinha" no comércio, em condomínios e em órgãos públicos.

      Por fim, um ano regular tem 52,1428 semanas, e não 52. Um mês pode ter 4 ou 5 semanas. Se a pessoa é remunerada semanalmente, receberá pelas 4 ou 5 semanas do mês, ou pelas 52,1428 semanas do ano, além do décimo terceiro, pergunte a um contador, basta isso para apontar a falha nessa "lógica".

      Excluir
    4. me diz quem no brasil receve semanalmente?

      Excluir
    5. Já vi essa teoria, mais no meu pensamento o salário mínimo afeta mais a empresas pequenas pois as grandes tem um RH e contadores para organizar tudo certinho as pequenas no primeiro perrengue já gasta a poupança do décimo terceiro.

      Excluir
    6. Não há dúvida de que é possível, veja por exemplo o teor do artigo 487 da CLT, que trata do aviso prévio quando a remuneração for semanal. Dá para conferir também no Google algumas convenções coletivas que tratam de salário semanal para lavradores, vendedores e outros.

      Ou seja, o salário semanal não é tão incomum assim, vou ilustrar ainda com a jurisprudência do TST:

      1) "O Tribunal Regional com apoio nas provas produzidas (em especial os recibos de pagamento) assentou que o salário base semanal do reclamante era de R$ 310,00 (trezentos e dez reais)" (RR - 20035-85.2013.5.04.0002 , Relator Ministro: Breno Medeiros, Data de Julgamento: 26/09/2018, 5ª Turma, Data de Publicação: DEJT 05/10/2018);

      2) "verifica-se que restou consignado o salário semanal de R$ 3.620,00 (três mil e seiscentos e vinte reais) [...] ora, considerando que o mês detém em média 04 (quatro) semanas, o salário mensal do Recorrente é de R$ 14.480,00 (quatorze mil e quatrocentos e oitenta reais) e não R$ 14.000,00 (quatorze mil reais)" (RR - 11781-54.2014.5.01.0073, Relator Ministro: Mauricio Godinho Delgado, Data de Julgamento: 29/08/2018, 3ª Turma, Data de Publicação: DEJT 31/08/2018);

      3) "Em sua defesa, a Reclamada afirmou que, conforme balancetes e balanços da empresa, o faturamento mensal era, em média, de R$ 20.000,00 a R$ 30.000,00, o que não corresponde ao alegado pela tese obreira, visto que considerando que o máximo de comissão era de 5%, para um salário semanal de R$ 700,00, o Reclamante teria que vender por semana R$ 14.000,00, totalizando aproximadamente R$ 56.000,00 mensais, sem considerar os outros vendedores, o que se afigura um valor muito superior ao faturamento real da empresa, devendo ser fixado o valor em um salário mínimo (fls. 304/305)" (AIRR - 1117-66.2010.5.09.0659, Relator Ministro: Augusto César Leite de Carvalho, Data de Julgamento: 28/02/2018, 6ª Turma, Data de Publicação: DEJT 02/03/2018);

      4) "O reclamante informou na inicial (fi. 03) que foi contrátado pela primeira reclamada, prestadora de serviços à segunda reclamada, em 09/07/2011, sem anotação em CTPS, para exercer a função de Soldador, percebendo salário semanal de R$ 750,00 (setecentos e cinquenta reais), totalizando a quantia mensal de R$ 3.000,00 (três mil reais)" (ED-RR - 23-79.2013.5.04.0251 , Relatora Ministra: Maria Helena Mallmann, Data de Julgamento: 29/11/2017, 2ª Turma, Data de Publicação: DEJT 07/12/2017);

      5) "Não concorda o recorrente seja considerado o salário semanal de R$500,00 apenas no último mês laborado (fs. 1471148v)" (RR - 847-71.2014.5.03.0173 , Relator Ministro: Cláudio Mascarenhas Brandão, Data de Julgamento: 13/09/2017, 7ª Turma, Data de Publicação: DEJT 22/09/2017).

      Excluir
    7. SM, essa teoria é furada, como disse antes, o pessoal repassa sem refletir.

      Parece que é mais difícil convencer alguém sobre a verdade do que sobre algo falso! rsrs...

      Excluir
  2. Soldado,

    Dizem que todo esse mau é devido a nossa constituição. Eu não a li então não posso opinar, mas vejo muita gente falando que tudo isso é culpa dela, que coloca o estado, classes na frente dos indivíduos.

    Ai não temos força para nada mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já ouvi falar isso também e concordo , tudo é engessado o mundo muda coisas que eram úteis em 85 pode não ser no mundo de hoje

      Excluir
  3. Olá SM,

    Onde eu trabalho muita gente está com medo das privatizações. Muita gente está com medo de perder seus empregos públicos com salários altos. A maioria dos servidores públicos quer o estado grande.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vejo essa medo no meio dos concurseiros ,acredito que uma economia em pleno emprego até ajuda ter mais concursos e diminui a concorrência, já que muita gente quando está bem empregada perde o ímpeto em procurar concurso.

      Excluir
  4. O estado é um reflexo de nossa sociedade. Não tenho problema algum em ter um estado grande, contanto que seja um estado que trabalhe bem como nos países nórdicos, que são parceiros das pessoas e das empresas e não "inimigos" das mesmas.
    Agora olhe ao redor, olhe as pessoas... você acha mesmo que esse povo que com um celular recebe fake news e não consegue checar no google se alguma fonte confiável confirma vai eleger bons políticos para ter um estado limpo e parceiro do povo ?
    O problema não é o estado em si e sim as pessoas, todos nós, que controlamos o estado.
    Leis em relação a carros, são uma das poucas que são bem feitas no Brasil, elas de fato são feitas para preservar a vida de quem dirige e dos terceiros, me desculpe, mas nunca que eu confiaria deixar esse povo dirigir como quer...
    Abraços. E parece que estou como seu título hahaha, concordando em discordar (mas também concordando)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No caso das leis de transito algumas são necessárias,Mais a liberdade do individuo deve está acima disso não podemos ter um PRÉ CRIME julgando todos como culpado de um potencial crime que não existiu.
      Quanto controlar o ESTADO acho que pouca gente controla ele em detrimento da maioria do povo, por que eu tenho que manter uma universidade, uma escola uma rodovia, uma orquestra , pescador atleta , uma estatal com meu suado imposto sem talvez nunca fazer uso de nenhuma coisa citada acima.
      Abraço sou meio revolts com o Estado kkkk

      Excluir